terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Jogo de Osso

Glênio Bianchetii, Jogo do osso, Xilogravura, 1955, acervo do MARGS  
        Tu sabe como é que se joga o osso?
                                  Ansim:
    Escolhe-se um chão parelho,nem duro,que faz saltar,nem mole,que acama,nem areento,que enterra o osso.
     É sobre o firme macio,que convém.A cancha com uma braça de largura,chega,e três de comprimento;no meio bate-se uma raia de pistola,amarrada em duas estaquilhas ou mesmo um risco no chão,serve;de cada cabeça da cancha é um jogador atira,sobre a raia do centro:este atira daqui pra la,o outro atira de la pra cá.
      O osso é a taba,que é o osso do garrão da rês vacum.O  jogo é só de suerte ou culo.
      CULO é quando a taba cai com o lado arredondado pra baixo:quem atira assim perde logo a parada

      SUERTE é quando o lado chato fica pra baixo:ganha logo e sempre.

      Quer dizer:Quem atira culo perde,se é suerte ganha e logo arrasta a parada.
       Ao lado da raia do meio fica o coimeiro que é o sujeito depositorio da parada e que a entrega logo ao ganhador.O coimeiro também é o que tira o barato-para o pulpeiro.Quase sempre é um aldragante velho e sem-vergonha,dizedor de graças.
            É um jogo brabo pois não é?
JOGO DO OSSO
      Pois a jente que se amarra o dia inteiro nessa canchaça e parada envida tudo:os bolivianos,os arreios,o cavalo,o poncho,as esporas.O facão nem a pistola,isso sim,nem aficionado joga;os fala-verdade que tem que garantir a retirada do perdedor sem debochar dos ganhadores...e,cuidado...muito cuidado com o gaúcho que saiu da cancha do osso de marca quente!...

Jogo do Osso (trecho de Contos Gauchescos de J. Simões Lopes Neto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário